Internacionalização: vida longa para as MPE´s

Internacionalização: vida longa para as MPE´s

Internacionalização: vida longa para as Micro e Pequenas Empresas

As empresas seguem o mesmo ritmo dos seres humanos, começam pequenos almejando um dia serem grandes. Que bom se fosse esse o fluxo das empresas, tão lógico para os homens. Em um continente empreendedor por necessidade como a América Latina, as empresas pequenas surgem por uma criatividade ou deficiência de qualquer produto ou serviço. A taxa de mortalidade das MPEs, porém, ainda é muito alta. No Brasil, por exemplo, de acordo com o SEBRAE – Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas, em torno de 56% delas fecha as portas em menos de quatro anos.

99% das empresas na América Latina e Caribe são MPEs

Hoje, mais de 99% das empresas na América Latina e Caribe são Micro e Pequenas e empregam aproximadamente 47% da força de trabalho. Ou seja, elas exercem um papel muito importante na sociedade e economia da região.

Haja vista essa realidade, o desafio dos governos, sociedades e porque não, da iniciativa privada é oferecer apoio e subsídios para que estas empresas pequenas continuem crescendo e sejam grandes. Grandes entidades como a CEPAL – Comissão Econômica para América Latina e Caribe, e CAF – Banco de Desenvolvimento da América Latina, estudam constantemente esse universo de micro e pequenas empresas, mapeando debilidades e levantando oportunidades.

Esses estudos tem demonstrado que as debilidades das pequenas empresas, vão desde a falta de uma página na internet para conectá-las globalmente até um leque maior de opções financeiras de crédito. Porém, uma solução defendida com veemência por estes órgãos é de que a internacionalização das MPEs é e será sempre, uma afirmação de que ela está no caminho certo e sustentável para enfrentar as crises econômicas do século XXI. Isso reduziria consideravelmente a taxa de mortalidade das MPEs latinas e caribenhas.

Esse cenário prova que toda e qualquer ação coordenada para alavancar as exportações e importações de MPEs traz retorno e torna mais saudável a economia de um País.

O Brasil vem dando mostras de que está de olho nessa realidade com o desenvolvimento de ações como o Simples Internacional, ação fomentada pelo SEBRAE e outras entidades governamentais, com objetivo de desburocratizar o processo de exportação. Ação que motivará as MPEs a internacionalizarem-se e sustentar seu negócio de forma global.

Afinal, assim como o ser humano as empresas desejam vida longa!

5 Responses to “Internacionalização: vida longa para as MPE´s

Trackbacks & Pings

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: